Endometriose

Um mal comum, mas com tratamento.

Um dos fatores mais comuns da infertilidade feminina, a endometriose é um problema enfrentado por cerca de 10 a 15% das mulheres com idade entre 18 e 45 anos.

A endometriose é uma doença crônica inflamatória, caracterizada pela presença de tecido endometrial – aquele que reveste a parte interna do útero – em áreas fora do útero, como nos ovários, nas trompas e no intestino.

Entre os principais sintomas da endometriose, estão fortes cólicas menstruais, dores pré-menstruais e durante as relações sexuais, fadiga, fluxo menstrual intenso e alterações intestinais ou urinárias durante a menstruação.

É importante observar que nem toda mulher que sente muita cólica tem endometriose. O mais importante ainda é estar atenta aos sinais e fazer o acompanhamento ginecológico frequente para o diagnóstico precoce, pois ele permite o tratamento adequado e protege a mulher das possíveis complicações da endometriose, como a infertilidade.

Para diagnosticar a endometriose, existem métodos não invasivos, como: RSM – Ressonância Magnética da pelve e US Transvaginal com preparo intestinal para pesquisa de Endometriose profunda. Mas em algumas situações, especialmente as mais graves, a video laparoscopia pode ser o mais indicado (padrão ouro) no diagnóstico e terapêutica por apresentar mais chances de gestação posterior.